sexta-feira, 4 de maio de 2007

Supervisor de Cultura de Campo Limpo CENSURA artistas

Bom dia! É com grande pesar que escrevo estas linhas. No último dia 28 de Abril, aconteceu a festa de aniversário de 95 anos do Capão Redondo, tudo estava caminhando bem até que o vereador, presidente da câmara municipal de São Paulo e vice-prefeito, Sr Antonio Carlos Rodrigues teve a péssima idéia de fazer um discurso eleitoreiro. Como havíamos combinado com a organização, nenhum político convidado deveria fazer campanha eleitoral no palco, quero acreditar que o Sr. Antonio Carlos Rodrigues foi mal assessorado e acabou fazendo um discurso de campanha. Não concordando com a atitude do vereador, peguei o microfone e reclamei, avisando ao vereador que a campanha eleitoral é só em 2008. O vereador não se pronunciou, mas seus assessores ficaram "revoltados" com meu discurso, o sr Daniel Jardim, acessor do vereador subiu ao palco em defesa do vereador, mais tarde, ainda não contente com o fato, um outro assessor do vereador entregou um bilhete para um músico que se apresentava pedindo para agradecer ao vereador pela festa que ele (o vereador) havia organizado. Isso causou profunda revolta em todas as pessoas que ajudaram a organizar o evento, por saber que serviram de massa de manobra, por que o aniversário do Capão Redondo (o que ficou provado) não é e nunca foi uma festa para a população e sim um palanque para o vereador Antonio Carlos Rodrigues.
Ainda não acabou, quando subi ao palco para me apresentar com a minha banda (Tecora) e a percussão do Barracão dos Sonhos, me avisaram que o som seria desligado e ainda havia duas bandas pra tocar(banda Carraspana e Banda Preto Soul).O Supervisor de Cultura resolveu por vontade própria acabar com a festa.
Ano passado aconteceu fato semelhante , na apresentação de grupos de rap ( Ferréz e o Grupo Negredo), o supervisor de cultura mandava o técnico abaixar o volume do som, não queria que os rappers falassem mal da polícia.
Parece que estas pessoas não conhecem a constituição, não sabem que cada um fala o que quer,mas que cada um é responsável por aquilo que fala. Essa gente se acha acima do bem e do mal, tentando usar gente simples de periferia para implantar idéias e projetos que só interessam a si. Mas uma coisa garantimos isso vai mudar por aqui, ano que vem o aniversário do Bairro terá outra cara.

Obrigado pela atenção.
Marcos Teles

Um comentário:

Samara disse...

E ainda há quem jura de pé junto que a ditadura acabou...