terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Sarau do Zé - jonilson montalvão




O Sarau do Zé é uma atalaia da poesia, falada, interpretada ou cantada, no Brás. A cada 15 dias o bar reflete a mais nova sensação da cidade: os sarais; estes pipocam pelos 4 cantos da metrópole que não dorme. O sarau do Zé é no bar do Zé, que acaba se tornando o bar de quem estiver por lá.
Mais: o clima e ambiente do bar é algo de uma energia sagrada, quase um templo budista, a oração é a poesia e o consumo de álcool não está ligado ao excesso do exagero pela droga, mas sim a apenas uma lubrificação necessária, causada, agora sim, pelo excesso de conversas e divagações poéticas e lúcidas filosofias de botequim.
Penso que esses tipos de encontros, onde a poesia e a música, esta mais acessível, são fundamentais para um viver na multidão como em São Paulo. Ali somos levados aos encontros com outras pessoas que tem um mesmo querer e naquele momento uma mesma vontade de modificar aquele pedaço de tempo inebriado pela sensação do poeta que, provavelmente, há em cada um que ali freqüenta.
Ali, no Sarau do Zé, o sarau de todos nós, a fala, a oralidade e a transparência do ouvir é um ato da sensação do corpo todo; o corpo como um campo enérgico que capta tais impressões dos sentidos que regozija ao sabor do conviver.

3 comentários:

Samara Oliveira disse...

Adorei a matéria... vc acredita que eu ainda tenho a cara-de-pau de ainda não ter ido conhecer o bar?

ai... ai...

jonilson disse...

aproveita dia 21, será o último do ano...

Jose disse...

Obrigado SAMARA pela força na divulgaçâo do sarau! O Jonilson foi lá tirou fotos e fez essa matéria maravilhosa.Como diz a música da Rita Lee,Agora só falta você.Valeu um ABRAÇO.